Industry News & Trends

O que está acontecendo com o Gmail e os remetentes políticos?

minute read

Post Image

Não importa onde você se encaixe no espectro político: a política e o e-mail podem despertar fortes emoções. 

Há anos, os remetentes de e-mail e stakeholders questionam se a entrega na pasta de spam é politicamente tendenciosa ou parcial. Recentemente, um estudo descobriu que o Gmail (assim como o Yahoo e a Microsoft) sinalizava e-mails de políticos republicanos como spam em uma taxa mais alta do que os de seus colegas democratas. 

O estudo resultou em várias notas de repúdio de representantes do Partido Republicano e declarações daqueles que defendem o algoritmo do Google. 

Então, o que mudou? 

Em poucas palavras, bastante coisa. Em 11 de agosto de 2022, a Comissão Eleitoral Federal Americana (em inglês, FEC) aprovou um programa solicitado pelo Google, que permitiria que remetentes políticos, incluindo candidatos, partidos ou comitês de ação política (PACs), se candidatassem a fazer parte de um programa piloto de filtragem de spam de correio político. 

É assim que o Gmail descreveu o piloto em sua solicitação: 

“Depois que um participante qualificado for aceito no piloto, contanto que os seus e-mails não contenham conteúdo proibido pelos termos de serviço do Gmail, como phishing, malware ou conteúdo ilegal, e cumpram os requisitos do programa, esses e-mails não serão afetados por formulários de detecção de spam a que de outra forma estariam sujeitos. 

A entrega desses e-mails nas pastas da caixa de entrada dos usuários ou nas pastas de spam dependerá do feedback direto de cada usuário. O usuário pode fornecer esse feedback ao receber o primeiro e-mail ou um e-mail subsequente do remetente. Além disso, os participantes do piloto receberão informações sobre a taxa em que seus e-mails são entregues nas caixas de entrada dos usuários do Gmail, em oposição às pastas de spam (“Taxa de entrada”). 

Leia a Solicitação de Opinião Consultiva completa, disponível no site da FEC, aqui. 

Nota: A decisão aprovada da FEC foi apenas para confirmar que o piloto poderia prosseguir legalmente. Até a data de publicação, o Google não anunciou se ou como eles irão avançar com este piloto. 

Como as coisas funcionam agora? 

Provedores de e-mail como o Google sabem que a qualidade da sua experiência na caixa de entrada é o que mantém os usuários satisfeitos e os impede de mudar de provedor. 

Como tal, a sua principal prioridade é proteger a experiência do usuário e proteger as caixas de entrada do usuário contra e-mails indesejados. 

Eles fazem isso monitorando o comportamento dos remetentes de e-mail em massa para estabelecer uma “reputação” para os remetentes. Eles também usam um algoritmo complexo para determinar se os e-mails recebidos são desejados ou spam. 

Como exatamente funciona essa fórmula de reputação? 

O Google fornece alguns insights em um documento chamado “Impedir que e-mails para usuários do Gmail sejam bloqueados ou enviados para a pasta “Spam”“. 

Muitas das recomendações são técnicas: configure adequadamente a sua infraestrutura e autentique o seu e-mail, por exemplo. Além disso, o documento fornece informações sobre como o engajamento afeta sua probabilidade de chegar à pasta de spam. 

O conselho do Google inclui dicas como: “Envie apenas e-mails para pessoas que desejam receber mensagens de você. Eles são menos propensos a denunciar mensagens do seu domínio como spam. Se as mensagens do seu domínio são frequentemente denunciadas como spam, é mais provável que as mensagens futuras sejam marcadas como spam. Com o tempo, muitos denúncias de spam podem diminuir a reputação do seu domínio.” 

 E: “Não envie mensagens para pessoas que não se inscreveram para receber mensagens suas. Esses destinatários podem marcar mensagens indesejadas como spam. Mensagens futuras para esses destinatários serão marcadas como spam.” 

Como as coisas funcionarão no futuro, com as mudanças propostas? 

O Google afirma que o seu objetivo com o piloto é fornecer mais transparência na entregabilidade de e-mails, ao mesmo tempo que ainda permite que os usuários protejam as suas caixas de entrada cancelando a assinatura ou marcando e-mails como spam. 

Quando um remetente político aprovado envia e-mails como parte deste piloto, ele ignora as regras de filtragem de spam do Gmail. O primeiro e-mail para cada assinante incluirá uma mensagem em destaque perguntando se o assinante deseja continuar a receber e-mails desse remetente ou se deseja optar por não participar. 

Além disso, esses remetentes políticos receberão dados do Google sobre o desempenho da sua entrega na caixa de entrada. 

O que isso significa para os consumidores de e-mail? 

É provável que, no início do programa piloto, você receba e-mails de remetentes políticos que não está acostumado a ver. 

Se você não quiser ver determinados e-mails, poderá optar por não receber e-mails desse remetente político. 

Se você é alguém que gosta de doar para causas políticas e deseja ver essas mensagens, provavelmente verá algumas mensagens que anteriormente teriam ido para o spam. Você pode optar por continuar a receber mensagens desse remetente. 

E se você usar o Gmail como provedor e-mail, mas outro cliente, como o Apple Mail, para ler e-mails? Isso ainda não foi esclarecido. 

O que isso significa para os remetentes políticos? 

Como sabemos que a entrega na pasta de spam normalmente segue o envio para aqueles que marcam manualmente o e-mail como “isto é spam”, podemos inferir que, mesmo participando do projeto piloto, os remetentes políticos continuarão a ver um aumento substancial de pedidos para não receber mais mensagens das suas listas de assinantes. 

Os remetentes de dados saberão das taxas de entrega na caixa de entrada e os opt-outs fornecerão a esses remetentes alguma transparência e aliviarão quaisquer sentimentos de parcialidade do algoritmo de reputação. 

Esses dados do Gmail podem ser usados para determinar o sucesso geral da campanha? 

A proposta do Gmail afirma: “… os participantes do piloto receberão informações sobre a taxa na qual seus e-mails são entregues nas caixas de entrada dos usuários do Gmail, em oposição às pastas de spam”. 

Qual será o impacto desses dados?   

Os assinantes do Gmail compreendem um grande volume da maioria das listas de remetentes de e-mail, e os remetentes políticos não são diferentes. 

Ter insights sobre o desempenho dos e-mails nessas condições exclusivas será uma informação útil para esse segmento, mas, infelizmente, como eles estão ignorando a filtragem de spam no Gmail, eles não podem realmente inferir que isso reflete o seu desempenho com o restante do público. 

O que as pessoas estão falando sobre essa notícia? 

Esta notícia está polarizando tanto para consumidores quanto para remetentes de e-mail. Muitos acham difícil entender porque o Google consideraria fazer isso quando, à distância, a política impõe aos usuários o ônus de optar por não receber e-mails que não desejam. 

Alguns também acham difícil entender porque remetentes políticos garantiriam mudanças exclusivas no algoritmo de filtragem de spam, quando muitos remetentes trabalham muito para manter uma reputação saudável e não recebem o mesmo tratamento. 

O que isso significa para outros remetentes de e-mail em massa? 

No curto prazo, as caixas de entrada que você deseja alcançar estarão um pouco mais lotadas. 

Para garantir o seu lugar na caixa de entrada à luz dessas mudanças, é mais importante do que nunca manter uma reputação de remetente saudável. 

Se você quiser fazer isso, as instruções não mudaram. 

Siga as boas práticas para bons remetentes e você verá melhorias na sua reputação e entrega na caixa de entrada. 

Para mais orientações especializadas sobre como melhorar a sua reputação de remetente, confira nosso “All-in-One Sender Reputation Toolkit.”